Tivemos cerca de 87mil visitas desde janeiro/2016 - 7700/mês e mais de 214 mil desde julho/2007

3.4.12

Município espalha "lixo" na Cidade turística

Da intervenção "polis", em boa hora colocada em execução pelo governo de António Guterres e que, na maioria das cidades, conduziu a intervenções estruturantes do seu espaço urbano, "sobraram" para o Municipio de Tomar algumas barreiras tipo new jersey, que têm sido aplicadas inopinadamente, como esta que aqui se encontra na Rua de S.João.

barreira New Jersey é uma barreira de segurança, geralmente fabricada em betão, utilizada como separador de fluxos de tráfego, como guarda em obras de arte ou para delimitar provisoriamente zonas em obras. A barreira New Jersey tem como principal vantagem uma elevada resistência ao choque e a ocupação de um espaço diminuto.
É portanto um elemento da atividade da construção, especialmente vocacionada para "auto-estradas".
Todos sabemos que à cidade de Tomar se aplica efetivamente o conceito típico da utilização deste elemento, está de ver!
Aliás, em qualquer cidade com vocação turística é comum vermos este tipo de elementos espalhados, como temos encontrado na nossa Cidade, pelas enormes ruas do nosso centro histórico ou no Largo do Pelourinho, por exemplo.
Para os meus leitores não sei, mas para mim, que ando repetidamente há dois anos a solicitar que não se usem estes elementos na cidade, entendo que isto numa cidade vocacionada para o turismo, mais não é do que lixo.
Enquanto responsável pelo turismo municipal, tive há dois anos atrás (2010), por esta altura do ano, de promover o aluguer durante vários meses casas de banho amovíveis para apoio aos turistas, junto à entrada do Castelo Templário. Isso teve de ser feito, por iniciativa do turismo municipal, uma vez que os serviços do atual presidente entenderam soldar a porta de acesso às casas de banho da cerrada dos cães, em lugar de as limpar e recuperar. É assim que se trata o turismo em Tomar!
Para esta gente que gere o Município, promover a nossa cidade, passa por espalhar lixo pela cidade, fechar com solda portas de casas de banho públicas, colocar brita em rotundas em lugar de flores ou em manter durante meses zonas do centro histórico por calcetar, além de mandar fechar o posto de turismo e a maioria dos monumentos à hora de almoço. E isto só para dar alguns exemplos!
Numa cidade que tem uma Escola politécnica, que ministra um curso superior na área do turismo, com cujo departamento existe até um protocolo de colaboração com o Município, percebe-se bem que esta forma de atuar não é engano ou distração: é mesmo reiterada e persistente incompetência.
Além do "lixo" que tem sido a sua gestão, durante os últimos 15 anos, este PPD que nos gere, só sabe espalhar lixo pelas nossas ruas. Quanto mais tempo vamos aguentar isto, sem fazer nada?
Eu por mim cansei-me e a partir de agora não vou dar mais um milímetro de folga. Tomar merece melhor sorte!
.

1 comentário:

Sónia disse...

A impressão que dá é que estamos numa cidade permanentemente em obras. O que talvez seja verdade..., visto que até hoje penso sempre que a cidade está inacabada, que ainda há tanto por fazer...