Tivemos cerca de 85mil visitas desde janeiro/2016 - 7600/mês e mais de 212 mil desde julho/2007

10.4.12

Câmara de Tomar atrasa pagamentos à Associação de Bombeiros

Foi notícia no informativo das 13H00 da Rádio Hertz, na passada Quinta-feira, que haviam atrasos na compensação aos bombeiros voluntários do corpo misto dos Bombeiros Municipais deTomar.

Essa compensação, quase simbólica, de responsabilidade da respetiva Associação que engloba apenas os bombeiros voluntários em serviço e do quadro de honra, é honrada através de um financiamento variado, entre o qual as atividades da própria associação, donativos de entidades e de pessoas individuais e de subsídios públicos, entre os quais um subsídio, que com alguma regularidade o Município vai atribuindo.

E assim foi, na reunião do passado dia 15 de Março de 2012, quando a Câmara atribuíu um subsidio de 12.000€ para a Associação de Bombeiros. Sempre assim tem sido e os nossos bombeiros voluntários, que asseguram todo o periodo de funcionamento dos bombeiros municipais entre as 21H00 e as 6H00 de cada dia de semana, bem como as 24H do dia aos fins de semana e feriados, ou seja cerca de 60% do tempo de funcionamento dos bombeiros, recebem uma compensação simbólica de 1,80€ por cada hora de voluntariado.

Mas nem sempre foi assim. Mercê do trabalho conjunto realizado pela anterior vereação socialista e a Associação de Bombeiros, foi possivel assegurar uma otimização dos recursos à disposição da Associação, sem aumento dos subsídios do Município, de forma a que os bombeiros voluntários vissem a sua "compensação" subir dos 1,60€ que em média por hora recebiam, para os atuais 1,80€/hora, numa melhoria de cerca de 13%. Para que tal fosse possível o Município comprometia-se a disponibilizar com a regularidade necessária, através de novo protocolo aprovado em 2010, os subsidios referentes à compensação para o Fundo Social do Bombeiros. E tudo isto, DE FORMA ATEMPADA.

Em abono da verdade já durante o ano passado, os atrasos nos subsidios para a Associação de Bombeiros, começaram a criar dificuldades à atempada compensação aos voluntários, sempre ultrapassadas com grande disponibilidade dos dirigentes da Associação e empenhamento da vereação socialista responsável pelos bombeiros, que ajudava ao "lobbing" para que os bombeiros não fossem prejudicados.

Mas este ano, os atrasos avolumam-se. Desproporcionadamente. Sem solução de médio/longo prazo espetável.
Não se sabe aliás, desde que em Novembro este setor deixou de estar sob responsabilidade dos socialistas, que receitas têm sido arrecadadas e que cobranças em atraso têm sido desencadiadas no setor dos bombeiros e proteção civil. Sem controlo nas receitas e procura de realização de mais serviços, não é possivel ter fundos disponíveis para compensar osbombeiros de forma justa.

Sei bem que não foi fácil aumentar as receitas neste setor de 115 mil euros, para 226 mil no primeiro ano de gestão: Tal só se conseguiu através de um forte empenhamento na cobrança de todos os serviços efetuados e do aumento em mais de 14% dos mesmos. Mais trabalho. Mais receita. mais compensação. Justiça, enfim!

E agora? O que faz a gestão do PPD?
Deixa atrasar compensações aos bombeiros.
Deixa reduz os serviços realizados às populações. 
Não atua para evitar a redução das receitas arrecadadas.
Se gerem desta forma, prejudicando os cidadãos contribuintes e os cidadãos bombeiros, pergunta-se: o que estão lá a fazer?

Sem comentários: