Tivemos 97.798 mil visitas em 2016 - 8150/mês, 52.175 de janeiro a junho de 2017 e mais de 279 mil desde julho/2010

31.8.09

Tá-se...

Os meus amigos camaradas do Bloco de Esquerda em Tomar, andam muito entretidos com a preocupação dos louros na defesa do Mercado Municipal, e que tinham isso nos Programas Eleitorais e que os tipos do PS são uns malandrecos a desvalorizar o papel deles.

Vamos lá pessoal, mais calma e sem stress. O PS, como Partido que pretende gerir a Autarquia, foi apresentado propostas no sentido de dignificar o Mercado e no decurso da discussão pública sobre o plano de Pormenor do Flecheiro e Mercado (2007), lançou mão de uma "petição", para a defesa do Mercado na sua localização, subscrita individualmente por mais de 1500 pessoas (podem consultar o documento em http://pstomar.blogspot.com/2007/03/ps-entrega-centenas-de-sugestes-em.html), tendo depois disso apresentado várias propostas de manutenção e intervenção urgente no seio do executivo Camarário.
Sempre essas propostas foram recusadas pela maioria PSD, tendo-se chegado ao desplanate do actual candidato do PP e vereador do PSD (coisa linda: só mesmo em Tomar!), ter garantido - HÁ UM ANO E MEIO - que íam arrancar as obras no Mercado. ATÉ HOJE!

Sem stress pessoal, que a malta do PS não anda a dormir na forma, nem esteve de férias estes últimos 4 anos. Fazer política é também mais do que aparecer de 4 em 4 anos com umas ideias. (Boas por sinal: é o que quase sempre as vossas são!)

Do companheiro de jornada da Esquerda sem espinhos na Rosa, numa boa de Verão

Meadros de um PSD insondável

O PPD/PSD, Partido que há 12 anos governa a nossa autarquia e que durante mais de uma década governou Portugal, especialmente através da mão de Cavaco Silva e amigos, é um Partido inter-classista, pequeno-burguês, sem qualquer ligação internacionalista ou ideologica como base de suporte, mais ou menos assim como que um saco de gatos, de interesses mais ou menos mesquinhos, sem visão certa ou sabida, quase que uma construção Portuguesa de chico-espertos, fascistas rapidamente reciclados por alturas do 25, retornados ansiosos do tempo dos pretos e ultra-montanos clericais. Ou seja, pouco mais do que uma amálgama viscosa, sem rei nem roque, como aliás nós em Tomar temos visto muito bem.

Mas este Partido, um dos dois do poder, em Tomar e no País, tem um líder não assumido, que em 1995 fugiu da ribalta, para ter voltado há poucos anos para substituir o Dr.Jorge Sampaio, exemplo de seriedade, cultura e representação condigna de um país Europru do Sec.XXI.
Cavaco Silva, que vem tentando ser o coveiro do poder socialista, não por vontade do povo, mas sim por parte das elites que se vêm alimentado do Estado (que dizem amiúde combater!), está atolado até ao pescoço no caso BPN.

Recebi de anónimo o escrito seguinte, que republico e que assumo as perguntas como minhas: HÁ DEMASIADAS MATÉRIAS que um Presidente da República deveria esclarecer num País da Europa do Sec.XXI. É por essas e por outras que eu em 2011 não tenho dúvidas em apoiar MANUEL ALEGRE, que até pode ser prejudicial ao PS de quando em vez, mas é Homem, e Homem que é Homem, não é por ser duro com os seus que deixa de ser HOMEM!


"Tenho umas perguntinhas a sugerir à nossa prestimosa comunicação social, que anda sempre com falta de assuntos e é muito distraída.
A quem é que Cavaco e a filha compraram, em 2001, 254 mil acções da SLN, grupo detentor do BPN?
O PR disse há tempos, em comunicado, que nunca tinha comprado nada ao BPN, mas «esqueceu-se» de mencionar a SLN, ou seja, o grupo que detinha o Banco.
Como as acções da SLN não eram transaccionadas na bolsa, a quem é que Cavaco as comprou?
À própria SLN?
A algum accionista?
Qual accionista? (Sobre este ponto, ver adiante.)
Outra pergunta que não me sai da cachimónia:
Como é que foi fixado o preço de 1 euro por acção?
Atiraram moeda ao ar?
Consultaram a bruxa?
Recorreram a alguma firma especializada?
Curiosamente, a transacção foi feita quando o BPN já cheirava a esturro, quando o Banco de Portugal já «andava em cima do BPN», ao ponto de Dias Loureiro (amigo dilecto de Cavaco e presidente do Congresso do PSD), ter ido, aliás desaconselhado por Oliveira e Costa, reclamar junto de António Marta, como este próprio afirmou e Oliveira e Costa confirmou.

Outra pergunta:
Cavaco pagou?
E se pagou, fê-lo por transferência bancária, por cheque ou em cash? É importante saber se há rasto disso.
Passaram dois anos.
Em carta de 2003 à SLN, Cavaco alegadamente «ordenou» a venda das suas acções, no que foi imitado pela filha. Da venda resultaram 72 mil contos de mais valias para ambos. Presumo que essas mais valias foram atempadamente declaradas ao fisco e que os respectivos impostos foram pagos. Tomo isso como certo, nem seria de esperar outra coisa.
Uma coisa me faz aqui comichão nas meninges. Cavaco não podia «ordenar» a venda das acções (como disse atrás, não transaccionáveis na bolsa), mas apenas dizer que lhe apetecia vendê-las, se calhasse aparecer algum comprador para elas. A liquidez dessas «poupanças» de Cavaco era, com efeito, praticamente nula. Mas não é que o comprador apareceu prontamente, milagrosamente, disposto a pagar 1 euro e 40 cêntimos de mais valia por cada acção detida pela família Cavaco, quando as acções nem cotação tinham no mercado.
E quem foi o benemérito comprador, quem foi?
Com muito gosto esclareço, foi uma empresa chamada SLN Valor, o maior accionista da SLN.

Cito o Expresso online:
«Cavaco Silva e a filha deram ordem de venda das suas acções, em cartas separadas endereçadas ao então presidente da administração da SLN, José Oliveira Costa. Este determinou que as 255.018 acções detidas por ambos fossem vendidas à SLN Valor, a maior accionista da SLN, na qual participam os maiores accionistas individuais desta empresa, entre os quais o próprio Oliveira Costa.»
Ou seja, Oliveira e Costa praticamente ofereceu de mão beijada 72 mil contos de mais-valias à família Cavaco. E se foi Oliveira e Costa também a fixar o preço inicial de compra por Cavaco, então a coisa é perfeitamente clara.
Que terá acontecido entre 2001 e 2003 para as acções de uma empresa que andava a ser importunada pelo Banco de Portugal terem «valorizado» 140 %?

Falta, neste ponto, esclarecer várias coisas, a primeira das quais já vem de trás:
1. a quem comprou Cavaco e a filha as acções?
2. terá sido à própria SLN Valor, que depois as recomprou?
3. porque decidiu Cavaco vendê-las? Não tendo elas cotação no mercado, Cavaco não podia a priori esperar realizar mais-valias.
4. terá tido algum palpite, vindo do interior do universo SLN, só amigos e correligionários, para que vendesse, antes que a coisa fosse por água abaixo?
5. terá sido cheiro a esturro no nariz de Cavaco? Isso é que era bom saber!
6. porque quis a SLN Valor (re)comprar aquelas acções? Tinha poucas?
7. como fixou a SLN valor o preço de compra, com uma taxa de lucro bruto para o vendedor de 140% em dois anos, a lembrar as taxas praticadas pela banqueira do povo D. Branca?

E já agora, se Cavaco Silva é tão preocupado com a pobreza e a inclusão dos cidadãos mais desvalidos, por que não aufere apenas o ordenado de Presidente da República?!
Será porque é mal pago e tem que acumular com as reformas de professor, do Banco de Portugal e de primeiro-ministro?!
Se estivesse sinceramente preocupado com os pobres e a recuperação das finanças do Estado, não deveria e poderia dar o exemplo e renunciar às reformas enquanto estivesse no activo?! Antes do Governo do dito senhor era assim, só se auferiam as reformas depois de deixar completamente o activo e os descontos eram englobados e pagas numa única prestação!

Que espera o professor para dar um exemplo de Catão como é o do seu apoiante Ramalho Eanes, o único que renunciou ao pagamento de muitos milhões que o Estado lhe devia?
Afinal o dinheiro de todos e que é dos nossos impostos tem um valor muito diferente, consoante a moral dos governantes sérios e dos que se governam …

Por hoje não tenho mais sugestões de perguntas à comunicação social."

21.8.09

"E eu é que sou António Preto?"


Leiam só este primor do cabeça de Lista do PSD por Santarém e, como todos sabemos, muito amigo do Presidente da Assembleia Municipal de Tomar Miguel Relvas.
Com a defesa que Manuel Ferreira Leite faz de António Preto, se ela fosse líder do PSD há mais tempo, até Pedro Marques teria sido candidato pelo PSD. É que cada um tem o "António Preto" que quer e merece...

Por Paula Sá , DN Portugal

No blogue Jamais, o cabeça de lista de Santarém admite "erros graves" nas listas do partido, mas diz ter engolido "sapos" para derrubar o PS. Paulo Marcelo, membro da Comissão Política Nacional, também é contra a escolha de Preto


Pacheco Pereira tinha prometido falar sobre a polémica das listas de candidatos do partido às legislativas e cumpriu. No blogue Jamais lança a pergunta -"Há erros, mesmo erros graves?" - e responde: "Certamente que há". Admite, aliás, que ele próprio teve que "engolir sapos", mas sustenta que é preciso salvar o País do "desastre nacional" que seria um novo mandato de José Sócrates. O que não o inibe de considerar António Preto "uma ferida em aberto nas listas do PSD".

"Não vos agrada a pessoa A e B, tirariam a pessoa A e B, entendem que a A e B são prejudiciais ao partido e que foi um erro Manuela Ferreira Leite tê-los lá colocado? Acham que eu também concordo, que também gosto, que eu não acho mal?" - escreve o cabeça de lista social-democrata por Santarém. Pacheco Pereira nunca dá rostos ao A e ao B, mas os dois nomes incluídos nas listas que mereceram maiores críticas internas e externas foram os de António Preto e Helena Lopes da Costa, um acusado e outra arguida em processos judiciais.

No primeiro post que data de 15 de Agosto, o também comentador político deixa ainda sob a forma de pergunta a sua versão do que se pode esperar das equipas de Ferreira Leite: "Não há razões máximas, gloriosas teoricamente atractivas, 'ismos' perfeitos, não há equipas a reluzir de novo, saídas não se sabe bem donde, não há governos maravilhas, mas apenas governos possíveis , não há regenerações de varinha mágica?" E volta a responder: "Talvez".

No mesmo blogue, um dos membros da Comissão Política Nacional do PSD, Paulo Marcelo, manifesta a sua discordância pela integração de António Preto nas listas do partido. Este dirigente social-democrata entende que "Preto não tem condições para se apresentar como candidato a deputado, nem o PSD devia aceitar a sua candidatura". E defende que os partidos devem fazer uma "avaliação política" dos nomes que escolhem.

Nota:

1. Ora não poderia concordar mais com o "companheiro" do PSD. Foi precisamente por isso que desde 1996 que o PS em Tomar decidiu "despedir" e manter bem longe da sua porta o "António Preto" de Tomar.

2. Todas as referências a "Preto" tiveram que ser corrigidas para "António Preto", em virtude de já andarem por aí umas "virgenzinhas impolutas", muito escandalizadas com o pretenso teor racista da mensagam, que obviamente não tinha.
Por isso mesmo, caros amigos, os "Antónios Pretos" tanto podem ser pretos, brancos ou amarelos, mas que não os quero por perto de mim e muito menos em qualquer função na Autarquia Tomarense, ai isso estejam descansados que não! [24/8/2009]

20.8.09







Promovemos a equidade e combatemos a fraude e a evasão fiscal

Eliminámos subvenções e regimes especiais que não tinham fundamento nem justificação.

As pensões vitalícias e indemnizações por cessação de funções – para detentores de cargos políticos. Os regimes especiais de aposentação e outros benefícios para gestores públicos e administradores do Banco de Portugal. Os regimes especiais de protecção na saúde para certos corpos profissionais, com justa excepção das Forças Armadas e de Segurança.

Revimos o imposto sobre o rendimento, de modo a beneficiar as famílias com menos rendimentos e mais despesas.

Introduzimos a taxa de 42% no IRS e majorámos as deduções com os juros de empréstimos à habitação, para os escalões mais baixos deste imposto.

Combatemos a fraude e evasão fiscal.

Em 2007, foram cobrados coercivamente 1.633 milhões de euros de dívidas fiscais. Em 2008, 1.547 milhões de euros. Publicámos as listas dos maiores devedores ao fisco, recuperando por esta via várias centenas de milhões de euros. Aumentámos as circunstâncias de derrogação do sigilo bancário em caso de exibição de sinais exteriores de riqueza e introduzimos uma tributação agravada para os acréscimos patrimoniais superiores a 100 mil euros que decorram de rendimentos não justificados.

Fonte: www.socrates2009.pt

18.8.09

A aposta em instalações desportivas continua


É para mim mais um motivo de orgulho que mais 2 Associações de Tomar, tenham concorrido e conseguido financiamento, para duas obras essenciais para a continuação da sua actividade.


Desta feita foram a Associação de Santa Cita, com um financiamento de 20.000€ para a cobertura do seu Pavilhão e a Associação da Linahceira com 17.500€ para a construção dos seus Balneários do campo desportivo.


A nível deste programa do instituto do desporto, desde que me encontro no Governo Civil, foi já possivel dar apoio à Associação da Pedreira, para o novo ringue, do Paço da Comenda(Madalena), para a cobertura e casas de banho, de Vila Nova (Paialvo), para balneários e casas de banho, além destas que assinaram na passada Quinta-feira, na Direcção Regional de Desporto, em Rio Maior.


Um total de mais de 80.000€ que depois deram origem a um investimento de cerca de 150 mil euros, pelas Associações destas localidades do nosso Concelho.


Fico feliz que no final deste mandato governamental, Tomar tenha podido beneficiar de programas e as suas Associações terem sido incentivadas por nós, a apostarem nas populações.


Como eu costumo dizer, tarde ou cedo o trabalho, quando é bem feito, dá os seus resultados.

12.8.09

A Lista do PS para a Assembleia Municipal

O PS escolhe hoje a sua Lista para a Assembleia Municipal.

Mantendo não só o essencial das suas escolhas, mas também da sua estratégia, vai o PS propor uma Lista de candidatos à Assembleia onde pontuam, sem desprimor para todos os outros, o Hugo Cristóvão, a Anabela Freitas, o Zeca Pereira e o Hugo Costa.

Por motivos diferentes cada um deles é para mim uma referência:

- Hugo Cristóvão, representa o líder, o amigo de longa data e o quadro mais bem preparado do PS em Tomar na actualidade, sem qualquer dúvida será um excelente Presidente da Assembleia Municipal;

- Anabela Freitas, além de minha companheira e muito para além disso, não tenho dúvida que, tirando o Paulo Arsénio até este e infelizmente ter tido o terrivel acidente que sabemos, é a pessoa mais empenhada, trabalhadora e profissional que alguma vez conheci. Dará uma excelente Deputada, na Assembleia da República e na Assembleia Municipal;

- Zeca Pereira é um camarada de longas lutas do PS em Tomar e no Distrito de Santarém. representa o passado de sucesso do PS, de Tomar e da Região. É para mim um orgulho, como socialista e como tomarense, poder contar novamente com ele como Deputado Municipal;

- Hugo Costa, além de ser o líder da JS local é um Economista que como Parlamentar soube sempre"dar nas orelhas", policamente, quer ao Vitor Gil, quer ao António Paiva, quer ao Miguel Relvas. Tomar ganha em ter este excelente quadro como seu deputado Municipal e Lisboa em o ter como dirigente nacional da Juventude Socialista.

Uma palavra de obrigado aos meus colegas de bancada António Oliveira, que continua, Anabela Estanqueiro, que me acompanhará também na Câmara, Vera Simões que irá ser Deputada Municipal em Rio Maior onde hoje reside e Jorge Franco, que faz agora uma pausa, pelo especial empenhamento que estes tiveram para que o trabalho do PS na Assembleia durante este mandato, que ora termina, tivesse sido coroado de sucesso.

Um obrigado sentido e amigo, ao Paulo Arsénio, que neste momento de convalescença, torce por nós e voltará em breve para as Lutas, que só ele sabe fazer!

E VAMOS POR ESTA TERRA NA ORDEM, COMO METEMOS O PS!

Nota: [de 17/8/2009]

Este texto deve ser lido com espírito aberto e capacidade democrática de perceber que, passados mais de 35 anos do 25 de Abril, querer "pôr na ordem" o nosso Concelho, só pode mesmo significar acabar com o desmando, a roubalheira e a completa irresponsabilidade que por ela tem passado.

Exemplos não faltam, como o contrato de concessão do Estacionamento tarifado de Tomar, que coloca um prejuízo de mais de 10 milhões€ ao Município e entregou a uma empresa privada todo o estacionamento da cidade, por 20 anos e com a qual já esta Câmara perdeu um caso em Tribunal, que nos custou mais de 1 milhão€. E pergunto eu: SOMOS NÓS QUE TEMOS DE PAGAR ISTO? Ninguém vai a Tribunal pagar esta e outras decisões? Não é mesmo preciso PÔ-LOS NA ORDEM?

Se foi isso que fizemos no PS, depois de 2004, é isso que iremos fazer no Município. por muitos nomes que nos chamem, esta terra também é nossa e temos o direito de que ela não seja mais MAL GERIDA e VILIPENDIADA, como tem sido.

Aos velhos do restelo dizemos: cuidem que nós estamos a chegar e nada será como dantes, porque TODOS SOMOS PRECISOS!