Tivemos 97.798 mil leitores em 2016 - 8150/mês, 80.511 até ao 3.Trimestre de 2017 - 8.950/mês e mais de 310 mil desde julho/2010 (3.600 por mês, durante mais de sete anos)

25.7.05

A PROPÓSITO DOS PARTIDOS E DA DEMOCRACIA

Como a polémica vai alta, entre as observações sobre "independentes" e as reacções de alguma "elite cristalizada" que se sentiu - eventualmente - atingida, pelo "post" do dirigente socialista e candidato a Vereador Prof. Hugo Cristóvão, convém ler hoje o editorial de António Perez Metelo, no DN, de que transcrevemos uma parte:

"Os Partidos, em confronto democrático e plural, constituem a trave mestra de um regime que já deu boas provas ao longo de mais de duzentos anos. Sem eles, nada do que é verdadeiramente importante na organização da nossa sociedade faz sentido".

Esta observação de Perez Metelo, tem toda a aquidade num momento em que em Tomar o PS apresenta 9 candidatos a Presidentes de Junta de Freguesia (em 16), que não são seus militantes. Em que o PS apresenta em nº2 para a Câmara Municipal um cidadão exemplar que não é seu militante, tendo sido aliás até há cerca de 10 anos militante do PSD e seu Vereador eleito entre 1985 e 1989. Em que o PS apresenta em nº3 apara a Assembleia Municipal uma Advogada já de grande prestígio na cidade, que não é militante.

O que o PS não prescinde em Tomar, onde é a par do BE a única estrutura política organizada e com Projecto, é da sua responsabilidade de ter um objectivo de médio prazo para o Concelho: Pôr Tomar no Mapa, provendo ao seu desenvolvimento económico e à equidade social.

O que o PS não prescinde em Tomar, como no País é de dizer presente nas principais decisões para o futuro colectivo, com responsabilidade, com elevação, combatendo o medo dizendo a verdade, combatendo todo o tipo de "feudalismos" (de esquerda e de direita) e todo o tipo de ditaduras (de esquerda e de direita).

Sim, porque ao contrário do que alguns querem fazer crer, "os amanhãs que cantam" foram das mais graves perversões algumas vez propostas à sociedade do sec. XX, e também elas foram ditaduras.

Nós no PS, em Tomar e no País, sempre estivemos ao lado da liberdade, do desenvolvimento sustentado, do desenvolvimento sustentável, do equilíbrio social, do respeito pela diferença, da determinação pela evolução da sociedade para padrões europeus, afastando-nos do 3º mundo.

Mário Soares deu o seu contributo no passado, dá-lo-á no futuro. Em Tomar vamos ajudar: elegendo Carlos Silva Presidente de Câmara e repondo Tomar "nos eixos" do desenvolvimento.

Temos equipa para isso! Temos determinação! Não temos medo!

Obrigado "bochechas", pelo que nos ensinaste: a ser sempre livres!