Tivemos 97.798 mil leitores em 2016 - 8150/mês, 80.511 até ao 3.Trimestre de 2017 - 8.950/mês e mais de 310 mil desde julho/2010 (3.600 por mês, durante mais de sete anos)

30.6.10

Jaime Lopes quer explicações? Ele não tem um Professor lá em casa?

Juro que não entendo...

Jaime Lopes é um dos decanos da política tomarense. Começou numa Assembleia de Freguesia nos anos 80 pelo PS, chateou-se com os socialistas, nomeadamente com o Jorge Lacão, conforme ele
sempre afiança e mudou-se de ares.

Teve a sua oportunidade em 1993 quando depois de quatro anos seguidosnde conflitos do então Presidente de câmara Pedro Marques, Augusto Brito o presidente socialista da Freguesia se viu incapaz de convencer os seus Fregueses da perseguição que Pedro Marques lhe moveu, apesar de eleitos pelo mesmo partido.

Desde logo apadrinhado pelo então poder municipal, Jaime Lopes, lá fez o seu percurso, entre a algraviada típica, a 'bajolice natural' ao tempo aceite e um cem número de atribulações, lá chegou ao seu último mandato, mais seguro do que nunca de tudo poder usar, fazer e dispôr a seu bel prazer.

Cheguei a Vereador em Outubro de 2009, 16 anos depois da sua primeira eleição como Presidente da Junta dos Casais e será decerto coincidência, mas de cada vez que me desloco às oficinas da FAI, por lá o vislumbro. Eu estou certo de que não é por acaso que ele "sempre lá está".

Estou certo que ele faz do 'lobing natural' dos Presidentes de Junta uma arte, que transforma pela eficácia ou pelo medo adversários em tolerantes, mas o que eu não compreendo é porque razão o têm deixado há quase vinte anos fazer o que quer.

E o estilo tem seguidores, para mal dos nossos pecados.
Mas o mais grave do problema, é que normalmente os sucedânios são de menor qualidade...
E isso nem precisa de prova, pois basta rir-mo-nos com o patético apelo, via Facebook, para uma "manifestação" na reunião de câmara onde seria, como foi, aprovado o apoio à Associação Portuguesa de Turismo Cultural, feita exactamente pelo "Prof." sucedânio, de menor qualidade, do amigo Jaime, que volto a afirmar, que não faz mais do que lhe permitem que faça.

É a minha opinião, a qual terei todono gosto em mudar quando me for demonstrado que estou "a ver mal a coisa".
Até lá explicações, só mesmo lá em casa...

29.6.10

Afinal as comissões da Assembleia Municipal serviram para alguma coisa

No mandato passado foram criadas, por pressão da então conferência de lideres da Assembleia Municipal de Tomar, especialmente pelos membros da então oposição, varias comissões, de onde destaco a que foi entregue a presidência ao PS: a das Florestas.

Coube-me a honra de em nome do PS presidir a essa comissão, que mesmo após o abandono da CDU e do BE, terminou os seus trabalhos, no sentido da valorização econômica da Floresta. Alem de contribuir para um bom esclarecimento aos agentes locais de Proteccao civil - os srs Presidentes de Juntas - através da analise do celebre DL 124/2006 e postriormente do DL 19/2009, talvez o trabalho mais importante realizado tenha sido a preparação das condições de unanimidade política para a criação da Associacao dos Produtores Floreatais dos templários, hoje presidida pelo então membros do PSD na referida comissão - o Eng.Antonio Jorge.
Primeiro concretizou esta comissão o quadro estratégico de referencia para essa lacuna para o devido aproveitamento económico da Floresta, organizou um debate publico sobre o tema na Biblioteca municipal, levou à aprovação de uma deliberação onde de forma calda se assumia que a constituição de uma Associacao era indispensável pAra a Floresta do Concelho de Tomar. A Camara, após 2 anos e já com a aprovação da equipa de Sapadores, por parte da Autoridade Florestal Nacional garantido, em 2009 aprovou ummprotocolo que consubstancia a forma de colaboração entre o município e a Associacao dos Produtores Florestais.
É com algum orgulho que quis "a sorte" que me coubesse também a mim o papel de gestor da Proteccao civil municipal, no momento da entrada em funcionamento da equipa de Sapadores Florestais que se deu na passada semana.
Ontem deu-se inicio ao primeiro trabalho dessa equipa para o município, na limpeza da encosta do Castelo, demonstrando assim que esta equipa é também uma mais valia para o patrimônio.
O município está assim a dar o exemplo e claramente a cumprir as suas obrigações, no que ao cumprimento da Lei de Proteccao da floresta contra incêndios diz respeito, bem como a cumprir o Plano Operacional Municipal, já este ano aprovado pela respectiva Comissao Municipal.
A Comissao da Assembleia Municipal que a tudo isto deu origem, cumpriu assim o seu mais nobre oblectivo demonstrando que é possível, quando se quer, que estas dêem frutos e que sirvam o desenvolvimento local.

Foi isso que fizemos: ao Antonio Jorge do PSD, ao Presidente da Junta Tomé Esgueira em representação das Juntas de Freguesia, ao Vasconcelos dos IpT, ao Bruno da CDU e ao Trincãondo BE o meu muito obrigado pela colaboração par a concretização deste sucesso em prol de Tomar.

25.6.10

O SR.SILVA SE QUER GOVERNAR, ENTÃO QUE SE CANDIDATE A PRIMEIRO MINISTRO

Há um limite para tudo e o Sr.Silva já claramente o ultrapassou.
Animado pelas sondagens que dão o "seu" PSD ultramontano e ultra-liberal com vantagem sobre o PS, o Sr.Silva multiplica as suas intervenções, assumindo-se como o velho do Restelo com mais probabilidades de destruir o País, pela alta posição que ocupa na hierarquia do Estado.

Num País normal este Presidente já tinha sido destituido, porque naturalmente não está bom da cabeça: desde parar o País sobre um assunto regional - o estatuto dos Açores, ainda por cima com argumentos de constitucionalidade que posteriormente se vieram a revelar incongruentes, até ao momento em que mandou interditar o espaço aério sobre a sua casa no Algarve, temendo um "ataque terrorista", passado por aquele hilariante em que descobriu que os emails não são 100% à prova de "mirones informáticos".

O Sr. Silva já nos fez de tudo e a poucos meses de poder deixar dissolver a Assembleia da República, vem agora com uma série de intervencionismos "estalinistas", capazes de fazer corar o mais neo-fascista Italiano o mesmo o grande líder da Coreia do Norte.

Face a isto o PS e o seu Secretário Geral deviam de imediato provocar eleições gerais, para que o País escolhesse um novo Governo e o Sr.Silva que, se quer Governar, que se candidate.
O arrastar desta situação durante mais oito meses é altamente prejudicial ao interesse Nacional.
Nem o Governo consegue governar, nem o Presidente se cala, deixando de prejudicar o País.
É preciso uma nova legitimidade democrática para um novo Governo saído de eleições gerais.

17.6.10

Animação da Praça da Republica: de 19 de Junho a 12 de Setembro

Antecipando em dois dias a chegada oficial do Verão, Tomar abre a época no próximo sábado, dia 19 de Junho, com o Praça-Viva 2010, programa de animação do centro histórico.
A iniciativa, que vai trazer essencialmente animação de rua, insere-se no âmbito das Parcerias para a Regeneração Urbana, organizada pela ADIRN com o apoio da Câmara Municipal de Tomar, e cujo objectivo é dar mais vida ao centro da cidade e promover o comércio local.
Partindo da evidência de que Tomar é um pólo de produção cultural relevante e o elevado número de associações de natureza artística e cultural sedeadas no concelho, pretende-se que este potencial criativo constitua uma mais-valia para a dinamização cívica, cultural e comercial do centro histórico, bem como para a projecção junto de visitantes e turistas de um ambiente urbano vibrante e atractivo, que valorize a visita e a estada.
Aliás, a atractividade turística de Tomar, articulada com a sua ambição em se afirmar enquanto pólo de turismo urbano e cultural, fundamentam também a necessidade de oferta turística e, em particular, de um programa de animação cultural do centro histórico.
Por outro lado, a importância deste projecto encontra-se alicerçada na existência das referidas potencialidades locais que importa promover e valorizar não só numa dimensão cultural, mas também económica e social, considerando o importante papel das colectividades na promoção e formação artística junto das crianças e jovens.
 
Música e dança para começar
 
O espectáculo multidisciplinar “Percurso nas Artes”, da Sociedade Filarmónica Gualdim Pais, com música e dança, abre a programação, no próximo sábado, pelas 21.30 horas, na Praça da República.
Depois começa a programação mais regular, todas as semanas de quinta-feira a domingo. A música coral dá o tom para estes primeiros espectáculos na Praça da República, quinta, 24 com o Canto Firme e sexta com o Coro da Sociedade Recreativa e Musical da Pedreira. O Canto Firme volta a cantar no sábado, 26 na igreja de S. João Baptista, à mesma hora que a Banda Payalvense Manoel de Mattos toca no Coreto, no jardim da Várzea Pequena. Nesse mesmo local, domingo, 27, pelas 17 horas, um Encontro de Bandas promovido pela Banda da Pedreira fecha o fim-de-semana.
Folclore, danças de salão, teatro de rua e grupos musicais de características diversas juntam-se às bandas e aos coros todas as quintas, sextas, sábados e domingos em Julho, Agosto e na primeira quinzena de Setembro.
 
Dinâmica do centro histórico
 
O programa Praça-Viva foi apresentado e aprovado, no âmbito das Parcerias para a Regeneração Urbana, com um conjunto de objectivos gerais que incluem a criação de um centro histórico vibrante com acontecimentos culturais e com animação constante, que projecte a imagem da dinâmica cultural da cidade e projecte a identidade colectiva; estimular e valorizar o papel das colectividades culturais na formação artística e cultural dos jovens e crianças; fazer da Praça da República o coração do “centro comercial ao ar livre” de Tomar e âncora da animação do comércio; mobilizar os jovens e crianças para a aprendizagem artística e cultural e, finalmente, aumentar a atractividade turística de Tomar.

Para este ano de 2010, foram ouvidas as diversas associações do concelho, no sentido de darem o seu contributo para o programa de animação. Participam a Canto Firme de Tomar – Associação Cultural, a Sociedade Nabantina, a Sociedade Recreativa e Musical da Pedreira, a Sociedade Filarmónica Gualdim Pais, a Sociedade Payalvense Manoel de Mattos e os ranchos folclóricos “Os Camponeses” da Peralva, “Os Camponeses” de Minjoelho, “As Lavadeiras” da Asseiceira, Linhaceira, “Os Canteiros” da Pedreira, Alviobeira e S. Miguel de Carregueiros.

15.6.10

Paulo Fonseca avança para mais um mandato na federação socialista

Quando em Fevereiro de 2003, Paulo Fonseca iniciou o processo de candidatura para Presidente da federação de Santarem do PS, contou desde a primeira hora com meu pessoal
empenhamento, do Antonio Gameiro (Ourem) e do Fernando Pratas (Chamusca), que desde logo começou a somar apoios e empenhamento de dezenas de camarada por todo o Distrito.

Em Tomar o Partido era na altura gerido pelo então vereador do Turismo, Fernando Santos, que também apoiou a sua candidatura e Hugo Cristóvão, então um membro do secretariado da juventude socialista foi o cabeça de lista dos delegados a esse Congresso.

O processo aí iniciado correspondeu a varias chegadas ao poder: as conquistas das câmaras de Alcanena e Ourem, o retorno ao poder em Tomar e também as alterações de ciclo político em Santarem em 2005 e em Rio Maior e Alpiarça no ano passado.

Neste meio tempo temos vindo a partilhar responsabilidades e poder e o balanço é naturalmente bastante positivo. O PS esta hoje mais forte, em Tomar e no Distrito. O Distrito esta hoje diferente. Diferença que fizemos na protecção civil do Distrito, no investimento social, no acesso a fundos comunitários mais favoráveis no Distrito, no IC3 e no IC9...

Enfim. Sete anos passados e estamos a meio da nossa missão.
Estou certo que a recandidatura de Paulo Fonseca, ontem anunciado aos Presidentes de Concelhias do Distrito, dizem-nos que é tempo de nos prepararmos para a luta: derrotar Cavaco e afirmar os valores da social democracia europeia e do equilíbrio social em desenvolvimento económico.

Ser socialista é ser isso. Ser do Ribatejo é ter isso. É a nossa marca, livre e justa, como o devem ser todos os Homens.
Pelas pessoas, vamos continuar o nosso trabalho Paulo. Obrigado

12.6.10

Insustentável o Pais? Só na cabeça do sô Silva.

Um Pais que passou dos mais atrasados da Europa (toda) para um dos trinta mais desenvolvidos do mundo, com um dos melhores sistemas de saúde do mundo, por exemplo. Que é o maiormprodutor mundial de antibióticos e qu esta entre os 10 melhores na inovação e exportação de tecnologias de ponta, não é nem pode ser um Pais insustentável.

Portugal mais do que viável é um caso de estudo pela elevada capacidade de adaptação que a sua população e economia têm ao ciclo económico. Fomos omprimeiro Pais da Europa a sair da recessão técnica ( doisbtrinestres seguidosnde crescimento negativo), já recuperamos a riqueza rompais para valores do final de 2008 e estamos a crescer à roda de 1% ao ano.

Um Presidente da Republica que faz em permanência de velho do Restelo, não serve para liderar onPortugal moderno e empreendedor. Para bota de elástico já nos bastou quase cinquenta anos de conzentismo salazarento. Portugal é a cores, tecnologicamente evoluído e crente nonseu futuro. Não é o Pais dos incultos e ileterados de que o Sr.Silva fala.

Pelas mãos de Mario Soares chegamos à Europa há 25 anos e pelo sonho do poeta nos afirmaremos nommundo da modernidade solidaria, no meio da tormenta do oceano do liberalismo selvagem em que querem transformar o mundo.

Sem dogmas e pela afirmação da ética republicana de serviço publico. Sem clericalismos e com respeito pela diferença, seja ela sexual, religiosa ou rácica, assim se pode afirmar Portugal no mundo.

Fizemo-lo no passado, vamos fazê-lo agora.
ALEGREMENTE!

10.6.10

Pequena descrição de uma das jóias turísticas e culturais de Tomar

A Sinagoga de Tomar é o único templo judaico proto-renascença existente actualmente no país. A sala destinada ao culto desenvolve-se num espaço de planta quadrada, com piso inferior ao do exterior, dividido em três naves de três tramos, apresentando uma tipologia semelhante à de outras sinagogas sefarditas quatrocentistas. O tecto, em abóbada de tijolo de arestas vivas, é suportado por quatro elegantes colunas, com capitéis de lavores geométricos e vegetalistas, e por mísulas embebidas nas paredes. A disposição destes elementos encerra um significado simbólico: as doze mísulas simbolizam as doze tribos de Israel, enquanto que as quatro colunas representam as quatro matriarcas – Sara, Rebeca, Lea e Raquel. Estas duas últimas matriarcas são as filhas gémeas de Labão, facto que explica a razão por que os capitéis são iguais em duas colunas e diferentes nas restantes. Para efeitos acústicos, encontram-se colocadas, embutidas na parede dos cantos, oito bilhas de barro viradas ao contrário, que comunicam com a sala através de orifícios. A porta virada para nascente, em arco quebrado, lanceolado do lado de fora, era a porta principal do templo. A entrada faz-se hoje por uma modesta porta de vão rectangular, voltada para norte. Este espaço apresenta algumas semelhanças com a cripta de D. Afonso, Conde de Ourém, na Igreja Matriz aquela cidade, nomeadamente no que respeita ao sistema acústico e ao tratamento do espaço interno. Depois de algumas escavações feitas no local, foi encontrada uma sala de planta rectangular, adossada ao edifício principal, destinada ao mikvah, o banho ritual de purificação das mulheres.
.
O acervo do museu inclui livros e objectos da tradição e culto judaicos, sendo ainda exibidas algumas lápides provenientes de vários locais do país e que atestam a importância da cultura hebraica em Portugal. Desta colecção de lápides, há a destacar uma estela funerária proveniente de Faro, alusiva ao falecimento em 1315 de Rab Ioseph, judeu nabantino, e a lápide de 1308, que assinala a fundação da segunda sinagoga de Lisboa.

9.6.10

Câmara aprovou hoje apoio a alguns Projectos e Associações

Foram hoje aprovados os seguintes apoios a projectos e associações do Concelho:

- ACR Sta Cita, 10000€ de apoio para a remoção da cobertura do pavilhão Desportivo;
- Comissao do Culto da Sra.Piedade, 4000€ de apoio às pinturas de muros e recuperação das escadas da Sra. Da Piedade;
- IV Tomarimbando, Festival Internacional de percursão, 12-16 de Julho, 20000€ à Gualdim-Pais;
- Associação Templanima, 2000€ de apoio a actividades de recriação histórica;
- Federação do Folclore Português, 2980€ para apoio a actividades de etnografia com os ranchos do Concelho de Tomar;
- Centro de Estudos de Arte e Arqueologia, 42.000€, para apoio a actividades (Olhar Tomar incluído);
- Associação Portuguesa de Turismo Cultural, 31.500€, para apoio a actividades (Tomar Patrimonio incluído);
- VII Encontros de Musica Antiga, 16.000€ à Canto Firme.

Total de 122.480€ de apoio ao Associativismo essencialmente canalizado para a aposta estratégica da promoção e animação turística e Cultural do Concelho.

Já este mês e por 12 fins de semana seguidos, iniciar-se-á o Programa Praça Viva que animarmos em permanência a praça da republica e zona circundante, com um investimento de cerca de 40.000€.

Em Tomar investimos no que é estratégico!

8.6.10

Dois milhões e seiscentos mil euros de investimento no Flecheiro

2.659.088,61€ é o valor do Projecto de execução de arranjos exteriores e arruamentos no Flecheiro e Mercado - fase 3, que nesta Quarta, dia 9 ira a reunião de câmara para aprovação.

Vindo do polis, não resisto a transcrever parte da Inf.556/2010, do Departamento de Obras Municipais, para se perceber melhor o 'grande contributo da Sociedade TomarPolis' para Tomar:

"O projecto em causa tansitou da sociedade tomarpolis para o DOM.
Ao ser anisado neste Departamento, verificou-se a existência de incongruencias entre o estudo prévio e o projecto de execução. (...) verificou-se a descarga do colector pluvial a jusante da rotunda da REFER (no Padrão) e a montante do açude de S.Lourenço.
Notou-se ainda a falta de elementos obrigatórios para o lançamento de uma empreitada de obras publicas, nomeadamente o Plano de gestão de resíduos e o Plano de Segurança e Saúde."

Portanto e assim para nos entendermos em português: Polis entrega projecto incompleto e incongruente em diversos aspectos. Foi o mesmo com o que esta a ser executado na actual rotunda e que tem o polemico Muro. Uma lastima!

Quase que apetece dizer o nome do maior responsável pelo aconteceimento, mas não digo, porque parece mal estar sempre a bater no ceguinho.

Mas que o Polis poderia ter feito melhor trabalho?
Lá isso podia, mas não era a mesma coisa.

4.6.10

Juro que não entendo...

Jaime Lopes é um dos decanos da política tomarense. Começou numa Assembleia de Freguesia nos anos 80 pelo PS, chateou-se com os socialistas, nomeadamente com o Jorge Lacão, conforme ele
sempre afiança e mudou-se de ares.

Teve a sua oportunidade em 1993 quando depois de quatro anos seguidosnde conflitos do então Presidente de câmara Pedro Marques, Augusto Brito o presidente socialista da Freguesia se viu incapaz de convencer os seus Fregueses da perseguição que Pedro Marques lhe moveu, apesar de eleitos pelo mesmo partido.

Desde logo apadrinhado pelo então poder municipal, Jaime Lopes, lá fez o seu percurso, entre a algraviada típica, a 'bajolice natural' ao tempo aceite e um cem número de atribulações, lá chegou ao seu último mandato, mais seguro do que nunca de tudo poder usar, fazer e dispor a seu bel prazer.

Cheguei a Vereador em Outubro de 2009, 16 anos depois da sua primeira eleição como Presidente dos Casais e será decerto coincidência, mas de cada vez que me desloco as oficinas da FAI, por lá o vislumbro. Eu estou certo de que não por acaso que ele "sempre lá está".

Estou certo que ele faz do 'lobing natural' dos Presidentes de Junta uma arte, que transforma pela eficácia ou pelo medo adversários em tolerantes, mas o que eu não compreendo é porque razão o têm deixado há quase vinte anos fazer o que quer.

E o estilo tem seguidores, para mal dos nossos pecados.
Mas o mais grave do problema, é que normalmente os sucedânios são de menor qualidade...

2.6.10

Ex-Convento de Sta Iria, na voz do IGESPAR

O Convento de Santa Iria começou por ser um recolhimento de senhoras devotas fixado no centro da cidade de Tomar, junto à margem do Nabão. Foi em 1467 que D. Mécia Queiroz, viúva de Pero Vaz de Almeida, vedor da fazenda do Infante D. Henrique, comprou o "sítio" de Santa Iria , mandando construir no local uma casa e respectiva capela, onde se recolheu com as filhas (GUILHERME, 1982, p. 30). Em 1523, a pedido de uma das filhas da fundadora, o recolhimento passou a ser regido pela observância de Santa Clara (idem, ibidem).
Em 1536 a capela e a casa do recolhimento foram reconstruídas e ampliadas a expensas de Pedro Moniz da Silva, comendador da Ordem de Cristo, reposteiro-mor de D. Manuel e mordomo-mor do Cardeal D. Henrique. Data pois desta época a magnífica obra de gosto renascentista, decorrente dos modelos da chamada escola da Renascença coimbrã , possivelmente uma obra da oficina de João de Castilho, que na época trabalhava nas obras do Convento de Cristo (FRANÇA, 1994, p. 84).
De planta rectangular, composta pelos volumes da nave, da capela-mor, da sacristia e da capela dos Vales, adossada lateralmente, a Igreja de Santa Iria apresenta a fachada principal disposta longitudinalmente rasgada pelo portal "de cuidado tratamento escultórico" (Idem, ibidem, p. 83) decorado com relevos de motivos de grutesco e com medalhões no extradorso, que ostenta no tímpano a data 1536, alusiva à reedificação do templo, e por uma janela edificada ao lado do portal, com moldura semelhante.
O espaço interior é composto por uma única nave, sendo ornamentado por um programa decorativo totalmente executado no século XVII, custeado por D. Vitória de Vilhena, neta de Pedro Moniz da Silva, que em 1610 "(...) mandou reedificar, ornar e pintar a ouro (...)" o interior da capela (GUILHERME, 1982, p. 30).
A nave é coberta por tecto de caixotões pintados com ornamentos de brutesco , e as suas paredes são forradas com azulejos de tapete de "ponta de diamante". O espaço da capela-mor é coberto por abóbada, também pintada, aqui com figuração em trompe l'oeil . As pinturas que ornamentam a cobertura de ambos os espaço é atribuída ao pintor Domingos Vieira Serrão (FRANÇA, 1994).

Do lado da Epístola situa-se a Capela dos Vales, mandada edificar em meados do século XVI por D. Miguel do Vale e dedicada primitivamente ao Senhor Jesus. O modelo renascentista desta particular atribui-se ao risco de uma oficina coimbrã, possivelmente a João de Ruão (Idem, ibidem, p. 84).

O claustro do convento, também edificado durante a campanha de obras quinhentista, desenvolve-se em planimetria quadrangular, com arcada toscana encimada por galeria com capitéis da mesma ordem.

Depois da extinção das ordens religiosas em 1834, o convento foi vendido em hasta pública, tendo tido desde então diferentes proprietários que utilizaram a estrutura edificada para os mais diversos fins. Actualmente, existe um projecto da edilidade local para transformar o antigo convento numa pousada histórica.
Catarina Oliveira
IPPAR/2006

1.6.10

Tomar 2010 Lego Fan Event, dias 10 a 13 de Junho em Tomar

TOMAR 2010 LEGO FAN EVENT​

 

- De 10 a 13 de Junho no Pavilhão Municipal Cidade de Tomar

- Das 10h00 às 22h00

- Mais de 3 milhões de peças

- Réplica da Janela do Capitulo com 24.000 peças, em protocolo com o Projecto Construir (que está fazer o Estádio do Dragão com crianças do IPO do Porto) e a Escola Stª Iria (jovens constroem a janela)

- Ferrari cedido pelo Museu do Brinquedo de Sintra, com 125.000 peças

-Uma cidade completa com reprodução do Marquês de Pombal e motivos animados

-Um complexo ferroviário com réplicas iguais aos comboios da CP e uma estação antiga

-A tradicional “piscina” com 100.000 peças para todos brincarem e criarem modelos, que serão postos a concurso com prémios todos os dias.

-um display (mesa de exposição) com um circuito móvel onde bolas são transportadas por diversos mecanismos, causando um efeito de movimento divertido.

-Participação da Polegar Digital com uma cidade robotizada, antevendo uma cidade em 2030

-diversos espaços temáticos com motivos de naves espaciais, castelos, Egipto, Guerra das Estrelas, piratas, etc.  

-um espaço dedicado à história do Lego, desde os seus primórdios nos anos 20, com peças em madeira, até aos nossos dias, considerando o Brinquedo do Séc. XX

-entrada pelo portão junto ao rio e saída pelo beco

-um espaço da CMT para promoção turística, Festa dos Tabuleiros e apoio ao evento

-três espaços comerciais; Casa Martins (revendedor lego mais antigo do país), Game Stage com jogos de computador e alemão Alex Farkas com peças em 2ª mão e raras.