Tivemos cerca de 85mil visitas desde janeiro/2016 - 7600/mês e mais de 212 mil desde julho/2007

7.5.12

TODOS FOMOS FRANCESES: Socialistas ganham em França e preparam mudança na Europa

Vitória socialista em França, por 51,9%, contra 48,1% da direita, leva ao retorno dos socialistas ao poder, após a sua saída do Eliseu (Palácio Presidencial em Paris), há dez anos.
A vitória de François Miterrand em 1981 e a sua reeleição em 1986, foram os únicos momentos da história Francesa em que um Presidente da República havia sido de esquerda.

Esta vitória histórica, especialmente pela assumção de uma alteração da política europeia da França, pode mudar tudo no futuro do Euro, enquanto moeda única e por arrastamento de toda a Europa.

Esta vitória soma-se assim à vitória dos Trabalhistas nas eleições locais de Quinta-feira no Reino Unido e à também vitória da esquerda, embora pulverizada, na Grécia. A esquerda, que obteve mais de 45% dos votos, distribuídos pelos quatro principais partidos da esquerda grega (radicais-socialistas, socialistas, comunistas e dissidentes de esquerda), entre os sete que passam a compor o parlamento Grego.

Ontem troquei mensagens com os meus contatos no PASOK e a expetativa é a da realização de novas eleições a breve trecho, após se observar a evolução que a nova Presidência Francesa vai "impor" à Europa. Estranhamente ou talvez não, o futuro da Grécia e também de Portugal está mais nas mãos da Presidência socialista de Holland, do que nas dos seus próprios eleitores.
Inauguramos nestes primeiros anos da segunda década do Sec.XXI uma nova Europa, cada vez mais federal e onde todos esperamos vir a ser "Franceses": pela coragem de mudar de rumo e pelo respeito pela democracia, onde mais de 80% dos eleitores participaram na votação!

Os próximos meses serão decisivos.
Por um lado as eleições legislativas em França, num sistema de eleição de Deputados a duas voltas, onde a disputa esquerda-direita será então decisiva, para se perceber que margem de manobra terá a Presidência de Holland, na impossição da sua agenda de desenovlimento economico e social.
Por outro lado, está a evolução política na Grécia, com ou sem eleições a curto prazo, com ou sem renegociação e/ou saída do Euro. Portugal está a seguir na lista, a Irlanda também; Espanha, Itália e Bélgica igualmente em maus lençois...

As eleições federais de Outono na Alemanha em concomitância com as Presidenciais americanas, poderão finalizar mais um ano de verdadeira instabilidade politica e económica, onde TODOS nos afirmamos como Franceses!

Mesmo na Alemanha, que também teve eleições este fim de semana numa pequena região do Norte, a progressão da esquerda foi significativa, estando marcadas para o próximo fim de semana, importantes eleições numa região com 18 milhões de eleitores (1/3 do eleitorado alemão). Será também oportunidade para se perceber o que vai acontecer no gigante "neo-liberal" europeu...
(http://www.ionline.pt/mundo/cdu-merkel-ganha-eleicoes-schleswig-holstein-esquerda-mais-mandatos

Como cantava Zeca Afonso: venham mais cinco! É que França só pode mudar de novo em 2017. Até lá vamos aproveitar a oportunidade e dar nova esperança aos nossos povos!
Pela derrota da escola de Chicago e da economia de casino...
Obrigado França!

P.S. - Resultados, cidade a cidade
http://elections.interieur.gouv.fr/PR2012/

P.S. - principais notícias
http://www.ps.pt/noticias/noticias/antonio-jose-seguro-felicita-francois-hollande.html
http://publico.pt/1544975
http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=551237&tm=7&layout=122&visual=61

P.S. - Evolução dos resultados na Grécia
http://m.publico.pt/Detail/1544952

Sem comentários: