Tivemos cerca de 85mil visitas desde janeiro/2016 - 7600/mês e mais de 212 mil desde julho/2007

4.4.16

Construir junto à GNR, para acabar de vez com o Flecheiro II


Desde o passado dia 15 de março, quando apresentei publicamente a minha ideia para a solução de parte do problema dos ciganos do Flecheiro, que a discussão, e bem, se vem instalando da maioria à oposição, passando pela própria comunidade e pelo cidadão comum. A solução é muito simples: aproveitar os terrenos do Município, onde está instalada a GNR e aí construir ao lado do quartel do destacamento, um conjunto de habitações que ajudem a realojar, parte dos residentes ciganos dos acampamentos do Flecheiro.

Esta solução, segue a estratégia terminada antes de completados os 100 dias dados pela nossa Presidente, desde a sua tomada de posse, que se completou em janeiro de 2014. A sua falta de comunicação dentro desse timing foi, quanto a mim, um dos maiores falhanços da gestão socialista da autarquia. Foi a estratégia (falhada), do tem de se ver…

Depois desse tempo ter passado, foi há um ano atrás finalmente apresentado em reunião de câmara a estratégia de atuação, que passa por um conjunto de soluções mistas e complementares entre si: o arrendamento de habitações para habitação social, a construção de edifícios de raiz, a recuperação de edifícios municipais, entre os quais escolas devolutas e a criação de núcleos de alojamento temporário, ou parques nómadas, tudo enquadrado por uma avaliação social adequada.


Neste contexto, várias são as opções de terrenos municipais, entre os quais a Machuca, o que discordo. As vantagens desta localização, junto à GNR, são as seguintes:

· proximidade em relação à sua atual localização, permitindo uma ambientação social fácil;

· terreno de fácil adaptação à construção, permanente em alvenaria e/ou madeira, com infraestruturas já existentes na Avenida;

· terreno propriedade do Município, o que minimiza os custos;

· garantias de proximidade e acessibilidade às habitações, em condições de segurança rodoviária e segurança pública;


E não. por favor não continuem a afirmar que "os políticos são todos iguais". 
É que há aqueles que olham para os problemas e aí vêem mais uma "chatice" que não se resolve, eventualmente, com o passar do tempo e depois há os outros, que teimam em se incomodar com os problemas e tudo fazer para os resolver...

Nesta matéria dos "ciganos" temos visto a diferença.

Sem comentários: