Tivemos cerca de 85mil visitas desde janeiro/2016 - 7600/mês e mais de 212 mil desde julho/2007

2.11.12

Os desafios da criação de mais uma Associação de desenvolvimento da temática de Turismo Cultural

Templários avançam para a internacionalização, na sequência do Congresso Internacional de Turismo cultural e religioso, que reuniu no Hotel dos Templários, nos passados dias 27,28 e 29 de Outubro, onde congressistas, vindos de dez cidades da Europa, nomeadamente Bolonha e Perugia de Itália, Ávila, Barcelona, Gijon, Segóvia, Toledo, Ponferrada e Santander de Espanha, e Troyes de França, debateram as problemáticas do Turismo ligadas ao Património Cultural material e imaterial e à problemática da aproximação e entendimento, através do Turismo, de pessoas independentemente das suas crenças ou religiões.

Segundo a organização, durante os trabalhos foram manifestadas as seguintes intenções:

1) Da Diocese de Santarém: criar as condições para que o património religioso existente nas igrejas da diocese esteja acessível a crentes e não crentes, para que através da estética e da ética, as pessoas contribuam para a compreensão e interpretação das peças existentes e consequente aproximação das pessoas.

Nota pessoal: É exatamente nesses termos que a "Concordata", tratado internacional entre o Estado português e a Santa Sé, estipula o nivel de visitação e disponibilização do património religioso guardado nos lugares públicos, propriedade do Estado Português.

2) O Município de Bolonha, representado por Mauro Fellicori, a Universidade de Bolonha, representada pela Arquitecta Micaela Antonucci; a Directora do Museu de Segóvia, Cláudia de Santos; o Sub-Director do Museu Militar de Elvas, o Ten. Coronel José Ribeiro; o Aqueduto de Elvas e o Prof. José Manuel Mascarenhas, responsável pela candidatura a Património da Humanidade, frizaram a necessidade de cooperação entre públicos e privados para a criação e institucionalização de uma Rede Europeia de Aquedutos.

3) Do Alcaide e da Vereadora da Cultura da Câmara de Ponferrada, Carlos López Riesco e Susana Tellez; do Município de Perugia, Prof. Guiseppe Lumorno, Itália; de Josep Guijarro Triadó, director da MC Edicciones; e da cidade de Troyes, em França, de cooperar para a institucionalização entre entidades públicas e privadas, de uma Rede Europeia de Cidades Templárias.

Nota pessoal: esta intenção já teve diversas decisões municipais nesse sentido. Infelizmente a reconhecida pouca vontade dos diferentes Presidentes de Câmara que no súltimos 15 anos governaram Tomar, não permitiu qualquer caminho nesse sentido dado, mesmo se durante os escassos 12 meses em que exerci a responsabilidade nos pelouros do Turismo e da Cultura (2010), a insistência tenha sido muita, no contexto aliás da oportunidade do "Heranças dos Séculos" (Apontamentos sobre os 850 anos do inicio da construção do Castelo templário). No meu entender, esta possibilidade deve ser de retomar assim que houver uma Presidencia e uma maioria "sensível" a esta temática... 

4) Do Presidente da Etnocantabria, Alberto Luna, de levar por diante a cooperação e institucionalização de uma Rede de Cidades e Monumentos de Tomar, Alcobaça, Batalha, Jerónimos e El Jadida, Marrocos, para dar a conhecer o património de João de Castilho, o único arquitecto da História da Humanidade que viu cinco dos seus monumentos classificados pela UNESCO como Património da Humanidade.

Nota pessoal: tem sido nesse sentido que o Departamento de Turismo Cultural, do Instituto Politécnico de Tomar tem trabalhado, através especialmente dos Prof.Dr. Carlos Veloso e Luis Mota. esse aprofundamento técnico e científico deverá ser, nesse contexto e sob a sua égide conduzido, com eventual participação Municipal e sub-regional a nível da NUTIII do Médio Tejo.

5) Do Vice-presidente da Rede de Judiarias de Espanha, Héctor Palencia Rubio, membro do Município de Ávila; do Presidente do Museu Sefardita de Toledo, Santiago Palomero Plaza; e do Responsável pelo Plano Director de Toledo, António Pareja, para que, no prazo de seis meses, em Portugal ou em Espanha, se reúnam entidades públicas e privadas com vista a cooperarem para a criação de uma Rede Ibérica de Judiarias, juntando a experiência adquirida durante vinte anos pela Rede de Judiarias de Espanha e pela recém criada Rede de Judiarias de Portugal.


Para concretizar as intenções atrás manifestadas, foi decidido criar uma associação, com sede em Tomar, que terá por objectivos levar à prática as intenções atrás expostas.
 
Nota pessoal: A adequada concretização de uma entidade desta índole, deverá contar sempre com o empenho e participação do Instituto Politécnico de Tomar, da Comunidade InterMunicipal do Médio Tejo, da Entidade regional de Turismo e do Município de Tomar, de forma a optimizar todas as "redes" nas quais estas entidades se encontram envolvidas, seja no estrito âmbito cultural e patrimonial, seja no do desenvolvimento económico e turístico.


Texto com base nas informações fornecidas pela Newsleter da TLVT, de 30 de Outubro. Destaques, cortes e comentários da responsabilidade do autor.

Sem comentários: