Tivemos 97.798 mil leitores em 2016 - 8150/mês, 80.511 até ao 3.Trimestre de 2017 - 8.950/mês e mais de 310 mil desde julho/2010 (3.600 por mês, durante mais de sete anos)

12.6.11

Algumas razões para estar com António José Seguro

Deixo de lado as razões afectivas, facto natural de quem partilhou com ele dois intensos anos de vida e de trabalho, em prol do socialismo democrático em Portugal e na Europa.

Quero apenas, neste primeiro momento, dar relevo a três características que entendo potenciarem António José Seguro como o melhor candidato a liderar o PS e, com isso, a se colocar como líder da oposição ao governo de direita em formação.

Em primeiro lugar, o facto de António Seguro cuidar das pessoas, não lhes esquecendo o nome, o rosto e o pensamento, a ideia ou o trabalho realizado.
Este aspecto é uma das suas características, que dão a António Seguro uma dimensão de forte presença Humana, de que eu fui testemunha em inúmeros momentos: a sua relação humana, mesmo com quem não conhece é imediatamente empática e isso, em POLITICA, vale ouro!

Em segundo lugar, a forte e alicerçada experiência POLITICA. Ele foi Presidente do Conselho Nacional de Juventude e do Fórum Europeu da Juventude, organização europeia representativa de TODAS as organizações juvenis da Europa, ao nível do Conselho da Europa, antes mesmo de ser eleito secretário-geral da JS em Portugal.

Foi Deputado em várias legislaturas, na oposição e no poder, tendo sido Secretário de Estado e Ministro. Foi ainda Deputado Europeu e presidente de diversas comissões parlamentares, incluindo do Grupo parlamentar. Foi ainda o autor da ultima grande reforma do Parlamento.

Actualmente, além de Deputado em regime de não-exclusividade, é Assistente universitário na área das Relações Internacionais.

Do ponto de vista ideológico é um moderado de esquerda, de forte pendor social e com determinada visão de justiça e solidariedade. Cresceu e desenvolveu no PS, esta forma peculiar que todos nós temos, de nos considerarmos à ESQUERDA da INDIFERENÇA.

Num momento em que o PS se precisa de reencontrar consigo e com os seus eleitores, ele é o Homem certo, no tempo certo e para o lugar certo.

Sem comentários: