Tivemos cerca de 85mil visitas desde janeiro/2016 - 7600/mês e mais de 212 mil desde julho/2007

2.10.12

Estratégia da Região Centro pode ser definida pelos cidadãos

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, que abrange, para efeitos de gestão de fundos comunitários 100 Municípios (dos 308) dos Distritos de Aveiro, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Leiria, Santarém (Médio Tejo) e Lisboa (Oeste), está a lançar um desafio à cidadania.
 
No contexto de preparação do próximo período de programação financeira, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) está a programar um conjunto de iniciativas com vista a mobilizar os agentes locais e regionais, no sentido de os envolver na discussão do futuro da Região Centro.

A reflexão estratégia sobre o Centro de Portugal deverá assentar num conjunto de temas prioritários que procurarão dar resposta aos problemas e desafios com que a região se confronta, por forma a gerar valor acrescentado e afirmar modelos de Competitividade Responsável, Estruturante e Resiliente (CRER) no Centro de Portugal:
  • Responsável no sentido de respeitar aspetos ambientais, relacionados com os direitos humanos e a qualidade de vida dos cidadãos, bem como de responsabilidade social e de evolução harmoniosa da região;
  • Estruturante no sentido de corresponder a pilares duradouros e sustentáveis de construção da competitividade da Região Centro no mundo contemporâneo, com uma ótica também de médio prazo e com base em valor acrescentado;
  • Resiliente no sentido de ser robusta face a oscilações de contexto, traçando um rumo de evolução positiva que seja capaz de resistir a diferentes tipos de imprevistos que possam surgir a nível nacional e internacional, assim como aos momentos bons e menos bons.
Este processo pretende-se fortemente partilhado com os principais agentes regionais e locais, mas também com os próprios cidadãos, através de mecanismos expeditos para a partilha de ideias e propostas. Pretende-se também colher a experiência e opinião daqueles que têm um diferente olhar sobre a região por trabalharem com organizações e empresas no exterior e, inversamente, daqueles que estando fora têm relações com agentes e recursos na região.

 
Neste sentido, apelamos à sua participação através do preenchimento deste formulário ou através do e-mail Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar , onde poderá deixar todas as suas sugestões ou comentários.
 
 
 
A exemplo do que é a governance atual europeia, onde parte significativa do nosso futuro é construido em modelos polinucleados de decisão, partilhada e cooperativa, também a nossa região se pretende afirmar como um espaço de construção comum.
Esta sim, é uma oportunidade de ouro para os Toamrenses afirmarem a sua vontade, no adequado contexto regional (CCDR Centro) e sub-regional (Médio Tejo), dando a sua opinião e fazendo valer os seus argumentos.
 
Isto, claro está, se em lugar dos habituais choradinhos, das mal contidas invejas em relação ao desenvolvimento dos "vizinhos", soubermos perceber que sem trabalho, sem estudo, sem cooperação, de nada vale sermos "os maiores", usando uma imagem futebolística...
 
E já agora, estou certo que o Município, mobilizará os principais players estratégicos locais, Instituto Politécnico, Convento de Cristo, Turismo de Lisboa e Vale do Tejo, Prado, Platex, Norema e outros empregadores concelhios, como a Rede de IPSS, por exemplo, e este (o Município) saberá prover à mais ampla e necessária divulgação desta iniciativa. Ou vamos ficar a ver passar o Comboio?

Sem comentários: