Tivemos cerca de 85mil visitas desde janeiro/2016 - 7600/mês e mais de 212 mil desde julho/2007

21.1.11

Um Portugal solidário precisa de nós

Às cidadãs e aos cidadãos do meu País

Domingo, mesmo que não pareça, é um dia importante para todos.

Pela sétima vez, em democracia, vamos poder escolher, TODOS, o nosso presidente da republica.

Nem sempre foi assim: depois da "derrota" que Humberto Delgado infligiu ao regime fascista de Salazar, em 1958, a eleição directa do presidente da republica foi anulada.

Só o 25 de Abril devolveu ao povo a possibilidade de escolher quem nos representa ao mais alto nível.

Por isso não fique em casa: VOTE.
Vote em quem quiser. Mas vote.

Portugal é a nossa casa e o próximo Domingo, 23, é o dia de ESCOLHER quem é o nosso  presidente.
De ESCOLHER quem nos representa no estrangeiro.
De ESCOLHER quem será o garante de que tudo funciona - o governo a governar, seja ele qual for; o Parlamento a fazer leis, seja qual for a sua composição; os tribunais a aplicarem a justiça, seja quais forem as leis. A isso se chama ser o "garante do regular funcionamento das instituições democráticas".

O Presidente, eleito pelos que VOTAM, jura a constituição da republica - Lei fundamental que estipula as grandes orientações e regras do nosso pais. Ele é o seu primeiro seguidor e GARANTE!

Escolher um Presidente é o acto mais importante que um eleitor pode ter, e alem de raro é recente: Só com a Republica, que conta hoje 100 anos é que pudemos começar a escolher. Antes era o "berço" ou os interesses estrangeiros que nos escolhiam quem "presidia" - o Rei. Ao povo, nada!

Sei que é cidadã(o). Sei que tem opinião. Não fique pela net ou pelo café. Dê a sua opinião a Portugal: VOTE!

Eu, como sabe escolhi Manuel Alegre, porque acho que Portugal merece um presidente que garanta a manutenção do estado social e o apoio e respeito cultural pela diversidade e por todas as gerações, em Liberdade, em Igualdade e em Fraternidade.

Se a sua opção for outra, respeito-a, mas mesmo assim apelo a que VOTE.
Portugal vale a pena. Tenha coragem: diga sim a Portugal!

Obrigado

Sem comentários: