Tivemos cerca de 85mil visitas desde janeiro/2016 - 7600/mês e mais de 212 mil desde julho/2007

19.12.12

Confiança e caminho...

Num momento de grande incerteza, de dificuldades imensas, Tomar aproxima-se do final de mais um ano, sem qualquer luz ao fundo do tunel.
 
Já nem me refiro às ilegalidades cometidas na aprovação de um empréstimo por 14 anos, que precisasva de 19 votos a favor e apenas teve 15, na Assembleia Municipal.
Nem sequer falo de inúmeras deliberações, umas mais relevantes que outras, aprovadas por unanimidade ou maioria e que não são cumpridas (a título de exemplo):
- Reposição dos Jornais para leitura na Biblioteca Municipal; HÁ 4 MESES!
- Financiamento das Freguesias, através de protocolos legais e não pela ilegalidade do financiamento que há 15 anos é realizado; HÁ 6 MESES!
- Sistema de recolha e limpeza dos sacos de plástico no mercado das roupas à Sexta-feira; HÁ UM ANO!
- Concurso para venda ou cedência, tendo em vista a reconversão do ex-Convento de Santa Iria e ex-Colégio Feminino; HÁ UM ANO!
- Inicio de recuperação de escolas desativadas e criação de Nucleos de Alojamento Temporário, para situações de emergência social, entre as quais se destaca a resolução do acampamento cigano do Flecheiro; HÁ MAIS DE UM ANO!
- Obras de emergência no Mercado Municipal; HÁ QUASE TRÊS ANOS!
(...)
 
Sem luz ao fundo do tunel, num PSD que se arrasta inexoravelmente e numa decadência triste e penitente, onde a confiança política nos seus três representantes na autarquia é já uma miragem, após a rotunda derrota de Carrão no PSD (local), onde a anedota última de um comunicado "contra" uma sondagem que o PSD (Nacional) encomendou, mas que o PSD (local) negou é apenas mais um episódio.
 
A somar a tudo isso a luta sem quartel entre os independentes (A), os independentes (B) e os independentes (C), um acantonado no executivo, outros num conhecido café da cidade e outro algures sob a proteção de ares mais "serranos", augurando um final feliz a esta aventura de excluídos e auto-excluídos do sistema político.
 
Ausência de crescimento económico, de novas empresas, de aumento dos negócios, ora fruto de uma política louca, que apenas quer cobrar impostos, onde o aumento de 10% do IVA sobre toda a restauração, em local de turismo como Tomar, tem um impacto importante; ora fruto de um continuar desrespeito pelos investidores por parte da autarquia, onde à burocracia habitual, se soma uma insensibilidade atroz por parte da minoria governante, na gestão e acompanhamento dos processos de investimento. Onde anda o tão prometido gabinete de apoio ao investidor (em 1997)!?
 
Sem luz ao fundo do tunel, vimos desaparecerem valências Hospitalares, trabalhos e empregos localizados em Tomar. Uma urgência (real) a 40 Km, algures a caminho do alentejo e o Presidente da Câmara 8 MESES, há espera de ser recebido pelo Ministério(!), quando ambos até são do mesmo Partido.
 
Sem luz!
Mas com a extinção de 10 das nossas 16 Freguesias, onde até hoje não sabemos quais as Freguesias que o PSD (local) queria extinguir, dizem que para poupar uns trocados em Presidentes  de Junta que fanham 200€/mês, mas entretanto lá aprovaram a semana passada, o PSD (nacional), mais 80 novos lugares de nomeação para as Comunidades IntermUnicipais, a chorudos 3.500€/Mês.
 
Sem...
Paciência para uma sociedade que não se revolta, que não exige o que é seu e que tolera, com um indeferente encolher de ombros, perante a sua destruição. Há 80 anos, algures para lá do Reno, também se fez isso e o resultado foram milhões de mortos.
 
Não será melhor ligar a luz?
 
(Preguntarão que tem o título de relação com o escrito. Pois...)

Sem comentários: