Tivemos 97.798 leitores em 2016 e 99.854 em 11 meses de 2017 e mais de 326 mil desde julho/2010 (3,6mil por mês, durante mais de sete anos)

12.9.08

PRESIDENTE DE CÂMARA - HOMEM DE NEGÓCIOS

Jornal "O Cidade de Tomar", 28/Abril/1995, Pg.9

Por Carlos Carrão

[PEDRO MARQUES, PRESIDENTE DE CÂMARA - HOMEM DE NEGÓCIOS

Ficará para a história, a célebre frase do actual presidente da Câmara Municipal de Tomar, Pedro Marques, na sessão da Assembleia Municipal [de 24 de Fevereiro de 1995] quando, face às críticas que lhe têm sido dirigidas pela comunicação social, afirmou: "têm inveja é que eu faça bons negócios".

Pela minha parte, não tenho qualquer inveja, pelo contrário, aprecio as pessoas que fazem bons negócios, é sinal de que têm capacidade para os fazerem.

Lamento, isso sim, é que esses "bons negócios" sejam apenas pessoais, enão tenha havido a mesma capacidade para os fazer em benefício do Concelho: como a captação de novas indústrias, a instalação de novas infra-estruturas culturais, desportivas e turísticas, etc.

E, por isso, ignoro, como sempre ignorei, os seus negócios pessoais. Não posso é, como cidadão tomarense, demitir-me, hoje, de criticar a sua desastrosa gestão autárquica, em especial neste 2º mandato. Essencialmente, porque os seus efeitos mais negativos se irão fazer sentir apenas daqui a alguns anos. Mas, nessa altura, não há nada a fazer...

Há uma outra questão de fundo subjacente a toda esta polémica do "presidente de câmara - homem de negócios", e que é pertinente termos presente. É que, o exercício de um cargo político (autárquico, ou a qualquer outro nível), não pode ser visto primacialmente como uma fonte de rendimento pessoal, ou de aquisição de riqueza.

A política, deve ser, acima de tudo, um serviço público, em que a actuação dos titulares dos diversos cargos deve ser movida apenas e só pela sua capacidade e talento a favor da comunidade. Tem a ver, portanto, apenas com a ética individual que se tem ou não. E, não vale a pena virem argumentar com os inconvenientes e sacrifícios de "estar" na política a tempo inteiro. porque só vai para a política quem quer...]


UM COMENTÁRIO:

Carlos Carrão(PSD) lá sabe do que escreve. Acha ele e penso eu também, que a Política deve ser um serviço público. "Que tem a haver com ÉTICA INDIVIDUAL QUE SE TEM OU NÃO".

Quando alguém , que exercia na altura as funções de Presidente de Câmara e é hoje novamente Vereador na Câmara Municipal, afirma em plena Assembleia Municipal (de 24/2/1995) que "TÊM É INVEJA QUE EU FAÇA BONS NEGÓCIOS", perante critícas de adversários, está a dizer o quê?

Para bom entendedor ESTA PALAVRA BASTA.`
E é bom de se ver que pela boca morre o paixe.

De qualquer forma também não deixa de ser interessante confrontar Carlos Carrão(PSD) com aquele mimo jornalística de "como a captação de novas indústrias, a instalação de novas infra-estruturas culturais, desportivas e turísticas, etc" que ele, enquanto Vereador e o seu maioritário PSD nestes últimos 10 anos, foram incapazes de cumprir.

Depois admiram-se de o PS, cada vez mais, afirmar que é TEMPO DE ULTRAPASSAR ESTES ÚLTIMOS 15 ANOS DE MÁ MEMÓRIA PARA TODOS!

Isto meus amigos é que é Ética Republicana: Verdade, Justeza e Frontalidade!