Tivemos cerca de 87mil visitas desde janeiro/2016 - 7700/mês e mais de 214 mil desde julho/2007

23.9.16

Intervenção no Rio Nabão, iniciada em 2011 e prosseguida em 2014, estende-se agora ao Açude das Ferrarias

O Açude das Ferrarias, na sequência das decisões tomadas o ano passado (2015), ainda antes da Festa dos Tabuleiros, no sentido de se procurar encontrar uma solução, mesmo que aligeirada tecnicamente, para o terminar com a incapacidade de manter o Rio Nabão, junto ao Padrão Filipino, limpo e desimpedido de lixo, promovendo também a salubridade de todo o troço de rio, entre o açude do flecheiro e este antigo açude, vai ser finalmente intervencionado, de forma a garantir a sua funcionalidade.

Orgulho-me de ter contribuído para chamar à atenção para esta área do Rio Nabão, abandonado à sua sorte após a s intervenções do Polis terminadas em 2008. A decisão que tomei em 2011, quando era então vereador responsável pela proteção civil municipal, de iniciar intervenções de limpeza, que se pretendiam anuais e prosseguidas já no decurso deste mandato, em 2014, uma vez que era já notório que todo o espaço necessitava de continuada e redobrada atenção, face à degradação ambiental em curso, que as anteriores intervenções não haviam conseguido repor. 

As obras decorrerão assim nesta antiga estrutura (açude), que tem sido apontada pelos historiadores como uma possível ponte romana, ao que tudo indica adaptada a açude por volta do século XVI.

Mais recentemente, até há alguns anos, tem funcionado como um órgão hidráulico de regulação do caudal do rio, apresentando do lado da estrada nacional um canal que teve uma comporta de madeira, desde há muito completamente obsoleta e destruída.

A falta de manutenção e a degradação natural levou a que a mesma deixasse de reter a água mas, em contrapartida, se tornasse em zona de retenção de lixo, prejudicando a imagem de uma das entradas mais bucólicas da cidade.

Assim, e em face da necessidade de intervenção, o Município optou por uma obra que não porá em causa o valor histórico da construção, com a aplicação de uma estrutura de perfis metálicos no fecho do vão central do açude, responsável pela passagem do maior caudal do rio.

A montante, será executado um enrocamento com 350 toneladas de pedra que permitam fechar as restantes roturas do açude, sem contudo as tornar estanques, permitindo uma passagem controlada do caudal ecológico do rio e fazendo com que este galgue a superfície da estrutura.

No local da antiga comporta de madeira, será montada uma nova comporta metálica, manobrada através de um fuso vertical, o que permitirá controlar o caudal do rio entre o açude do mercado e este.

Em caso de limpeza do leito do rio nesse troço, esta comporta permitirá o seu despejo.

Sem comentários: