Tivemos 97.798 mil visitas em 2016 - 8150/mês, 52.175 de janeiro a junho de 2017 e mais de 279 mil desde julho/2010

12.11.07

A BRIGADA DO REUMÁTICO

A dita cuja, que dá o mote a este artigo, ficou conhecida nos idos de 60, pelo facto de perante uma das últimas tentativas de “renovar” por dentro o regime fascista, ter ido a correr prestar a vassalagem devida ao regime estertor de então. Do cavado dos quartéis surgiram os mais prosaicos coronéis, generais, adjuntos de comando, decrépitos sargentos e até alguns capitães arvorados em majores, afim de dizer alto e bom som ao “generalíssimo” tamanqueiro de Sta.Comba, que podia dormir descansado que no que dependesse deles o regime continuaria por mais mil anos.

Foi o que se viu, conforme todos sabemos.

Disse-me voz amiga que pelos lados do Alto do Piolhinho circundou, que nas recentes eleições internas do PSD foi ver ilustres militantes, com as quotas em dia como convém nestas coisas, qual brigada do reumático, a colocar ordeira a casa onde uns quaisquer desordeiros, que já não obedecem ao Conde de Antanho, se auguraram no desplante de querer o poder da coisa.

Mais me disse tal arauto, que foi coisa nunca vista, que foi gente a “botar” com jeito e esmero na ranhura, a continuidade de Luis Vicente e Miguel Relvas na liderança do PSD local.

E tudo correu bem: a evolução na continuidade lá ficou selada, com uns claros 72% dos votos. Lá pode Carlos Carrão continuar a sonhar com a candidatura a Presidente de Câmara. Lá ficou António Paiva seguro que o céu não lhe cai para já em cima da cabeça, que como todos sabemos é o que mais teme o chefe da aldeia gaulesa de Asterix.

É o que se vai ver, como todos nós sabemos.

O processo da renovação nas sociedades e nos partidos é um processo imparável. Hoje Isabel Miliciano e Luis Graça, com o apoio e ajuda de António Jorge e Ivo Santos, entre outros, perderam. O amanhã alguém poderá prever?

Ao fim de 15 anos a democracia e a alternativa voltaram a um PSD que se vai definhado e que como todos sabemos já não tem a aura de outros tempos. Para o PS o que aconteceu parece ter sido o melhor: continuará o desgaste e a incapacidade cada vez mais gritante e óbvia de nos dar a todos alento, mas para o Concelho foi o pior! Piores Partidos, pior Democracia, logo menos desenvolvimento.
A brigada do reumático aí está para durar mais uns tempos, mas tal como aconteceu no e com o PS, não é para todo o sempre. Felizmente!