Tivemos 97.798 mil visitas em 2016 - 8150/mês e mais de 228 mil desde julho/2007

18.7.07

SERÁ MESMO NECESSÁRIO DESTRUIR O MERCADO MUNICIPAL DE TOMAR?

Foi aprovado na passada sexta-feira na Assembleia Municipal, unicamente com os votos favoráveis do PSD local, o Plano de Pormenor do Flecheiro e Mercado, que contempla entre outras medidas a efectiva destruição do actual Mercado Municipal.

O PS procurou alertar até ao último momento para o perigo que a aprovação, a qual veio a acontecer, representa para todo aquele espaço de vivência quotidiana e de promoção dos produtos locais, chegando mesmo a propor 7 alterações ao respectivo Regulamento de forma a garantir a continuidade do Mercado na sua actual localização. O PSD recusou todas elas!

Sempre defendemos a necessidade de uma intervenção profunda no actual Mercado: as suas condições de funcionamento não são dignas, não atraem clientela e não resolvem os problemas de abastecimento das populações do Concelho que aí afluem para tal.

Por isso mesmo já em 2005, aquando da aprovação do Orçamento da Câmara Municipal para 2006, propusemos através do Vereador Carlos Silva, uma alteração ao Orçamento da Câmara de forma a que pudessem ser realizadas até ao final de 2007 grandes obras de conservação e melhoria do actual Mercado. O PSD recusou e para este ano de 2007 retirou mesmo do Orçamento as necessárias verbas, inclusive para a elaboração do respectivo Projecto.

Ao propor colocar na actual localização do Mercado um “Centro Comercial”, com cerca de 20.000 m2 de área comercial, a Câmara PSD, não só destrói o actual Mercado, como introduz naquele espaço um verdadeiro “monstro arquitectónico” de 5 pisos, aumentando os níveis de atrofiamento de uma zona que com a proposta construção da Ponte do Flecheiro ficará ainda mais congestionada.
O Plano aprovado, prevê ao lado destes 20.000 m2 de área comercial, uma área de 2.500 m2 destinada ao “Mercado Municipal”. O problema é que a Câmara PSD se "esqueceu", ardilosamente, de lhe atribuir qualquer área de implantação. Ou seja, nesse espaço nada se pode construir. Ou seja, o Mercado deixa pura e simplesmente de existir.

Como alternativa propôs em tempo o PS, que o futuro Centro Comercial pudesse ser colocado na zona de Marmelais, dentro do mesmo Plano de Pormenor, devidamente enquadrado pela futura Ponte de S.Lourenço/Ferrarias, que sempre considerámos mais prioritária de construção, numa área perfeitamente desafogada.

A opção tomada pelo PSD local, através dos seus eleitos, incluindo todos os seus Presidente de Junta, virá a privar dentro de pouco tempo um Concelho com mais de 40.000 habitantes de um Mercado Municipal, digno desse nome.

Duvido com honestidade que a população do Concelho, na sua maioria, concorde com esta acção do PSD e dos seus Presidentes de Junta de Freguesia. Todos os Fregueses e Munícipes sabem que Ourém, Torres Novas e Abrantes investiram nos últimos anos na reconversão dos seus mercados, tendo inclusive aumentado as suas áreas originais.

Que razão leva a que em Tomar se faça exactamente o contrário?

Estou convicto que a seu tempo será possível corrigir esta situação, garantindo uma boa área comercial, numa qualquer localização da Cidade, perfeitamente compatibilizada com a revitalização do actual Mercado Municipal.