O blogue teve 106.801 visitas em 2017 e mais de 390 mil desde julho/2010 +++ 53.567 visitas em 2018 (ate julho)

15.3.18

NÃO HÁ QUALQUER RISCO DE CHEIA NESTA SEMANA EM TOMAR

Com uma intensidade máxima de precipitação prevista para esta quarta-feira de 24mm, cerca de 40% da observada na sexta-feira dia 9/3, com vento predominante de S/SW e com uma intensidade de precipitação no troço superior do Nabão (estações metrológicas de Ansião e Leiria), num máximo de 60% da caída na sexta-feira, não se prevê que possa haver qualquer cheia no vale do Nabão.
Dado o atual nível do rio no Agroal, apenas se pode esperar um máximo de 3,00-3,20m de nível hidrológico instantâneo, provavelmente perto das 18h00 desta quarta-feira, dando um "pico de cheia" na cidade de Tomar, perto das 24h00 desse dia.
Tal significará um nível de água pouco maior do que a observada na madrugada e manhã do passado sábado, dia 10/3, quando o Rio teve total capacidade de recolha e drenagem da água recebida, tendo apenas tido uma pequena saída nas margens, junto ao Moinho Novo e a Santa Cita, também por força do caudal do Rio Beselga.
Desde que os açudes e comportas da cidade, hoje automatizadas, se mantiverem abertos, não há qualquer risco do Nabão sair do seu curso na cidade, especialmente na Levada, a qual mantém integral a sua capacidade de total drenagem da água, que se espera que na noite de quarta-feira (14/3) e madrugada de quinta-feira (15/3), chegue a Tomar.

Nota: aquando da finalização do meu trabalho como coordenador político do setor da Proteção Civil em Tomar, a 30/11/2011, deixei nos serviços um Protocolo de Manuseio do Rio na Cidade de Tomar, tomando por base o nível hidrométrico do Agroal e as precipitações observadas em Tomar e no Alto Nabão, instruindo de quando abrir: 1) O dique insuflável do Mercado; 2) A comporta do Açude dos Frades (na altura ainda manual); 3) As compotas dos Lagares D'El Rei; 4) A comporta de fundo da Levada, sob a Moagem nabantina; 5) O "ladrão" lateral da Levada, no final desta.
Se este protocolo for seguido, tudo corre sempre bem,porque até está atualizado, sendo que a única diferença substancial foi a automatização da Comporta do Açude dos Frades, o que conduziu a uma maior velocidade no seu manuseio.
O que não faz sentido é, perante pluviosidades de cerca de 30mm num dia, as Comportas laterais da Levada (além da de fundo), não estejam abertas... mas quem não sabe, é como quem não vê.